Diretor da Caixa é encontrado morto na sede do banco em Brasília

Diretor da Caixa é encontrado morto na sede do banco em Brasília

Um diretor da Caixa Econômica Federal foi encontrado morto nesta quarta-feira (20) na sede do banco em Brasília. Sergio Ricardo Faustino Batista era diretor-executivo de Controles Internos e Integridade da instituição.

As causas da morte estão sendo investigadas pela PCDF (Polícia Civil do Distrito Federal), mas a apuração preliminar indica tratar-se de um caso de suicídio. O banco afirmou que está contribuindo com as autoridades e prestando apoio aos familiares e amigos do funcionário.

“A Caixa manifesta profundo pesar pelo falecimento do empregado Sérgio Ricardo Faustino Batista. Nossos sinceros sentimentos aos amigos e familiares, aos quais estamos prestando total apoio e acolhimento. O banco contribui com as apurações para confirmar as causas do ocorrido”, afirmou a empresa.

Segundo a Polícia Civil, o caso foi preliminarmente tipificado como suicídio “em razão da vítima ter sido encontrada já sem vida no lado externo do prédio sede da Caixa Econômica Federal”.

Batista estava à frente da Diretoria de Controles Internos e Integridade desde março. A diretoria é responsável pelo canal de denúncias e é a primeira do banco a receber os relatos de assédio e outras irregularidades enviados por funcionários a uma empresa externa contratada pela Caixa.

O episódio ocorre em meio às repercussões de uma série de denúncias contra o ex-comando da empresa. Desde que acusações de assédio sexual e moral contra o ex-presidente Pedro Guimarães vieram à tona, o MPT (Ministério Público do Trabalho) e o TCU (Tribunal de Contas da União) abriram procedimentos para investigar o que ocorria na Caixa.

A acusação de assédio contra Pedro Guimarães também está sendo investigada pela Procuradoria da República no Distrito Federal. Ele deixou o cargo em 29 de junho.

Na terça-feira (19), o banco anunciou mudanças na corregedoria e afastou dois nomes ligados ao ex-presidente: Antonio Carlos Ferreira de Sousa, ex-vice-presidente de Logística e Operações, e Camila de Freitas Aichinger, ex-vice da Rede de Varejo.

A corregedoria deixará de ser subordinada à presidência e será ligada ao Conselho de Administração -formado também por membros independentes e um representante dos empregados.

(Folhapress /Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Compartilhe nas suas redes sociais:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.