Ao menos 2.500 lojas fecham após incêndio na região da 25 de Março, em SP

Ao menos 2.500 lojas fecham após incêndio na região da 25 de Março, em SP

Pelo menos 2.500 lojas estão fechadas em razão do incêndio que atinge na região da rua 25 de Março desde a noite de domingo (10). Ao menos quatro imóveis foram atingidos pelo fogo, e a fumaça ainda toma conta da área do circuito popular de compras do centro de São Paulo no início da tarde desta segunda (11).

Segundo a diretora-executiva da União dos Lojistas da 25 de Março e Adjacências, Cláudia Urias, ainda não é possível saber o tamanho do prejuízo para os comerciantes, mas 80% das lojas associadas estão fechadas.

Jorge Dib, 51, é dono de duas lojas de pijamas e roupas íntimas. Ele diz que perdeu um mês e meio de estoque que guardava no depósito que fica no prédio que pegou fogo.

No local, também funcionava o refeitório para os cerca de 90 funcionários de Dib.

“Soube do incêndio pelo segurança que me enviou vídeos. Cheguei às 21h30 e fui embora umas 2h.”
Apesar das duas lojas estarem fechadas, Dib continua as vendas online e espera que a retomada das vendas ajude a superar as perdas.

O representante de vendas Adriano, 47, conta que também soube do incêndio na noite deste domingo, mas que optou por ir trabalhar mesmo assim por esperar que a região fosse liberada logo. “Quando cheguei vi tudo interditado. As lojas que atendo ficam em volta do prédio que pegou fogo”, diz.

Dois funcionários de uma das lojas Armarinhos Fernando, que fica na região, também tentaram a sorte na esperança de que pudessem trabalhar. Rogério, 39, passou 50 minutos no ônibus que pega diariamente em São Mateus (zona leste) para chegar ao centro, mas se deparou com um situação pior do que a esperada. Marcos, 19, que mora na mesma região, preferiu não correr o risco de perder o dia de trabalho caso a região fosse liberada ainda nesta segunda pela manhã.

“Fiquei sabendo ontem de noite, por um amigo, mas não imaginei que estaria assim, tudo fechado. O nosso chefe liberou todo mundo para voltar para casa por medo de que o fogo se espalhasse”, diz Marcos.

De acordo com o porta-voz dos bombeiros, André Elias, houve desabamento da estrutura da loja Matsumoto, que fica na rua Barão de Duprat, e do teto da Paróquia Ortodoxa Antioquina da Anunciação a Nossa Senhora. O risco de desabamento dos outros prédios atingidos pelas chamas foi descartado pelos bombeiros.

Por causa das chamas, vias da região foram bloqueadas e linhas de ônibus tiveram seus trajetos desviados.

(Matheus Moreira – Folhapress / Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil)

Compartilhe nas suas redes sociais:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.