Rodrigo Maia não deixa população acompanhar votação da reforma no Plenário

Brasília - O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, fala à imprensa ao chegar ao Congresso (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

As arquibancadas do plenário da Câmara foram esvaziadas durante a sessão que vai votar a reforma da Previdência na tarde desta quarta-feira. Manifestantes iniciaram um protesto na entrada do anexo 2 da Casa, depois de serem impedidos de entrar no prédio.
A Polícia Legislativa foi chamada e isolou a entrada. Policiais detinham cacetes e spray de pimenta das mãos. Deputados chegaram a pedir ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que tomasse alguma atitude para permitir o acesso das pessoas ao plenário.
A parte superior do plenário é reservada para qualquer cidadão interessado em acompanhar as votações da Câmara. Desde que haja vagas, o cidadão apresenta um documento de identificação e entra no local.
Maia, no entanto, disse que não se trata apenas de pessoas que querem acompanhar as votações, mas de manifestantes que pretendem atrapalhar o rito da votação.