Polícia Federal faz operação de combate à corrupção no transporte público do Rio

 Policiais federais fazem nesta segunda-feira a Operação Ponto final,  ação contra um esquema de corrupção envolvendo empresas de transporte público no estado do Rio de Janeiro. Agentes da Polícia Federal (PF) estão cumprindo mandados de prisão desde a noite desse domingo.

  O empresário Jacob Barata Filho foi preso ontem no Aeroporto Internacional Tom Jobim/Galeão, quando embarcava para Portugal. Segundo o advogado de Barata Filho, ele faria uma viagem de rotina àquele país, onde tem negócios “há décadas e para onde faz viagens mensais”.  A defesa do empresário informou ainda que irá se pronunciar assim que tiver acesso aos autos do processo. Novos mandados estão sendo cumpridos nesta segunda-feira.

Também foram presos pelos federais, o presidente da Fetranspor; Lélis Teixeira, Rogério Onofre; ex-presidente do Departamento de Transportes Rodoviários do Rio de Janeiro (Detro), Marcelo Traça Gonçalves; presidente do Sindicato de Ônibus, Jõao Augusto Morais Monteiro; sócio de Jacob Barata,  Carlos Sá Garcia de Freitas,  David Augusto da Câmara Sampaio.  José Carlos dos Reis Lavoura está em Portugal, mas a Polícia Federal já acionou a Interpol para capturá-lo, e Márcio Marques Pereira, que está foragido. Todos são acusados de receber propinas do esquema que era que tinha como líder o ex-governador Sérgio Cabral Filho, que está preso no antigo Ponto Zero, em Benfica.