Morre maquinista resgatado após mais de sete horas preso em ferragens

Bombeiros resgatam maquinista após mais de sete horas preso às ferragens em colisão de trens na estação de São Cristóvão. O maquinista não resistiu e morreu.

Após quase oito horas de resgate, o maquinista de um dos trens que colidiu nesta quarta-feira pela manhã não resistiu e morreu. O acidente ocorreu às 6h55 e o maquinista só conseguiu ser retirado das ferragens às 14h30. Ao lado da plataforma da estação de São Cristóvão, onde ocorreu o acidente, os bombeiros tentaram reanimá-lo com massagens cardíacas por 20 minutos.

Durante todo o resgate, o homem ficou consciente e respirava com a ajuda de aparelhos. Após mais de sete horas preso às ferragens, ele foi retirado com uma máscara de oxigênio e deitado em uma maca. Um helicóptero do Corpo de Bombeiros chegou a pousar na Rua General Herculano Gomes, próxima à estação, mas decolou em seguida sem passageiros a bordo.

Segundo o Corpo de Bombeiros do estado do Rio de Janeiro, o maquinista sofreu uma parada cardiorrespiratória depois de ter sido retirado com vida das ferragens. Os militares tentaram reanimá-lo, mas não tiveram sucesso.

Os primeiros socorros prestados à vítima pelos bombeiros, ainda na plataforma da estação de trem, chamaram a atenção dos passageiros, que acompanharam o trabalho de outras plataformas e passarelas.  As outras oito vítimas da colisão tiveram ferimentos leves e foram levadas para os hospitais municipais Souza Aguiar e Salgado Filho. Sete delas já tiveram alta hospitalar.

O choque dos trens ocorreu pela manhã, na estação de São Cristóvão, na zona norte do Rio de Janeiro. Um trem vinha em direção à estação e acabou se chocando com a outra composição que estava parada na plataforma. (Vinicius Lisboa – Repórter da Agência Brasil )