Mendonça escolhe delegado da PF para chefiar diretoria que fez relatório sobre antifascista

O novo ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça, durante a solenidade de posse no Palácio do Planalto

O ministro da Justiça, André Mendonça (foto), decidiu colocar um delegado da Polícia Federal para chefiar a diretoria de inteligência da Secretaria de Operações Integradas (Seopi), órgão responsável pelo polêmico relatório sobre integrantes do “movimento antifascismo”.
Thiago Marcantonio Ferreira substitui o coronel Gilson Libório de Oliveira Mendes, tirado do cargo por decisão de Mendonça, após vir à tona a existência do documento sigiloso sobre um grupo de 579 servidores públicos opositores do governo Jair Bolsonaro.
O delegado da PF está no Ministério da Justiça desde 7 de julho, quando foi nomeado para exercer o cargo de assessor especial do ministro. Marcantonio Ferreira foi também chefe do grupo da PF de inquéritos especiais que atua perante o Supremo Tribunal Federal (STF).
A ministra Cármen Lúcia, do STF (Supremo Tribunal Federal), afirmou nesta terça-feira que a produção de relatório sobre o comportamento de servidores contrários ao governo Jair Bolsonaro é incompatível com a democracia e deu 48 horas para o Ministério da Justiça esclarecer o caso. (Camila Mattoso – Folhapress)