História, Sociedade e Cultura

Leonardo Santana da Silva – Doutor em História e músico.

 

Reflexões de um professor aniversariante…

 

O mês de outubro se findou, mas nunca é tarde para uma reflexão. Outubro, em particular opinião, é um mês bastante interessante. No Brasil, ele se encontra em plena primavera, estação do ano caracterizada pelo o desabrochar de várias espécies de flores – conhecida como estações das flores

No campo político, os holofotes acabam se concentrando nas eleições que ocorrem no mês de outubro, a cada biênio, exatamente nos anos pares – mas dessa vez não iremos tratar dessa temática. Ao menos duas datas festivas podem ser comemoradas, anualmente, em outubro. São elas:15 e 23.

No dia 15 de outubro se comemora o Dia do Professor. Mesmo com sua importância para a construção do saber, contraditoriamente este profissional quase sempre não tem o seu reconhecido valor. Permanentemente estão em constantes lutas em busca de melhores condições de trabalhos, educação de melhor qualidade e o que é mais deplorável ainda, manter direitos já conquistados, incluindo-se o seu devido respeito.

Reza a lenda de que tal data escolhida foi em virtude da atuação de uma freira carmelita, educadora do século XVI, que durante a Contrarreforma ficou conhecida por Santa Teresa de Ávila. Outra versão, essa já em contexto nacional, refere-se à criação do Ensino Elementar no Brasil, a partir de um Decreto Imperial instituído por D. Pedro I, em 15 de outubro de 1827. Esse Decreto determinou, entre outras questões, o ensino da leitura, da escrita e das quatro operações de cálculo nas chamadas Escolas de Primeiras Letras – hoje o ensino fundamental.

Em 1947 – 120 anos depois de tal Decreto – a data comemorativa caminhava em direção a um merecido feriado. A proposta para criação do Dia dos Professores partiu do professor paulista, Salomão Becker. A data surgiu, inicialmente, com o propósito de se dar folga aos professores, mas sem perder o foco na educação. Mesmo fora de sala de aula, os professores reuniam-se para discutir os rumos do final do ano letivo e para se confraternizarem também.

Após expressiva repercussão, em 14 de outubro de 1963, João Goulart e o então ministro da Educação Paulo de Tarso, assinaram o Decreto Federal nº 52.682, declarando em seu Art. 1º, que o dia 15 de outubro seria dedicado ao Professor – tornando-se feriado escolar.

Já em 23 de outubro, comemora-se o Dia do Aviador. Sem entrarmos na queda-de-braço, com relação a primazia da invenção do avião, o fato é que, para nós brasileiros, não resta a menor dúvida: foi Santos Dumont quem inventou e ponto final! Até isso os EUA querem usurpar? Não se trata de ganhar no grito, apenas de se entender algumas explicações históricas e de caráter tecnológico.

Havia uma maciça propaganda nacionalista feita pelos EUA – em função da Segunda Guerra Mundial – que consagravam os irmãos Wright como os inventores do avião. Em seguida, diferente do 14-bis, a aeronave dos irmãos Wright não atendia os requisitos necessários de acordo com a definição de um avião, conforme as instruções do Aéro-Club de France – ou seja, um avião que tivesse trem de pouso, um motor de 50HP e que decolasse e pousasse por meios próprios. No máximo, os irmãos americanos tinham um planador com motor ao invés de um avião. Assim, Santos Dumont fez seu voo diante de uma comissão científica do Aéro-Club de France (primeiro órgão aviatório do mundo), jornalistas e um público de curiosos que serviram todos como testemunhas oculares da história.

Em 1936, no dia 4 de julho, Getúlio Vargas assina a Lei nº 218 que decretou o dia 23 de outubro como Dia do Aviador no Brasil e da Força Aérea Brasileira. Essa data foi justamente pelo inusitado fato de Santos Dumont, considerado o Pai da Aviação, ter voado no Campo de Bagatelle, em Paris, no dia 23 de outubro de 1906 – segundo algumas fontes. Portanto, esse título é nosso e ninguém tasca!!

Coincidência ou não, o rei do futebol também nasceu no mês de outubro – dia 23. Os ingleses podem até ter inventado o futebol, mas em matéria de talento quem o aperfeiçoou fomos nós. Professor e nascido em 23 de outubro, permito-me também sonhar com uma sociedade mais justa, cuja efetiva valorização não deve ser apenas referente aos professores, mas de toda nossa educação em seus diferentes segmentos de ensino.

Anseio igualmente que a nossa Força Aérea, sem tosquenejar, continue desempenhando o seu fundamental papel em defender a soberania de nossa “pátria mãe gentil”, mantendo o Brasil acima de tudo e de todos. Vida longa a todos os nossos professores e aviadores. Nossa homenagem vai também para alguns dos nossos talentosos e ilustres aniversariantes de outubro – em destaque para Garrincha e Chiquinha Gonzaga (in memória), o rei Pelé, Fernanda Montenegro, Glória Meneses, Rosa Maria Murtinho, Ziraldo, Milton Nascimento e Maurício de Sousa – respectivamente majestades do futebol e de nossa arte.