Copom corta 0,75 ponto da Selic e taxa de juros cai para 7,5% ao ano

Os membros do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central decidiram, por unanimidade, reduzir a Selic (a taxa básica de juros) em 0,75 ponto percentual, de 8,25% para 7,50% ao ano. O corte, anunciado nesta quarta-feira, pela instituição, foi o nono consecutivo. O movimento colocou a Selic no nível mais baixo em mais de quatro anos, desde abril de 2013, ainda no governo de Dilma Rousseff, quando também estava em 7,5%.
Com o corte de 0,75 ponto da Selic, o Banco Central iniciou o processo de desaceleração do ritmo do atual ciclo monetário, como vinha sinalizando em suas comunicações. Nos quatro encontros anteriores, o BC havia aplicado uma redução de 1 ponto porcentual na taxa básica.  A decisão desta quarta era largamente esperada pelos economistas do mercado financeiro.
No comunicado que acompanhou a decisão, a instituição afirmou que a convergência da inflação para a meta no horizonte relevante para a condução da política monetária, que inclui os anos-calendário de 2018 e 2019, é compatível com o processo de flexibilização monetária.
O Copom avaliou que, para a próxima reunião – nos dias 5 e 6 de dezembro -, caso o cenário básico evolua conforme esperado, será “adequada uma redução moderada na magnitude de flexibilização monetária”.
No documento, o BC também atualizou suas projeções para a inflação. No cenário de mercado – que utiliza expectativas para câmbio e juros do mercado financeiro -, o BC alterou sua projeção para o IPCA em 2017 de 3,2% para 3,3%. No caso de 2018, a expectativa continuou em 4,3%. Para 2019, o Copom manteve a projeção de inflação em 4,2%, conforme o último Relatório Trimestral de Inflação (RTI), publicado em setembro.